terça-feira, 3 de agosto de 2010

Poemas

"O universo da poesia é muito rico e encantador e o professor é o mediador e o iniciador do aluno neste mundo maravilhoso da leitura. Esse trabalho com leitura deve ser lúdico, prazeroso e bastante agradável"

>>> Se você gosta de LER tanto quanto eu, clique nos links abaixo e lerá belas POESIAS...

01. O cão sem plumas — João Cabral de Melo Neto

02. Jeremias Sem–Chorar — Cassiano Ricardo

03. As flores do mal — Charles Baudelaire

04. Poesia vestida de azul — Carlos Pena Filho

05. Em séculos de sombra — Cecília Meireles

06. A colina — Edgar Lee Masters

07. Como a noite descesse... — Emílio Moura

08. Mais real que a realidade — Alphonsus de Guimaraens Filho

09. O Carnaval de Bandeira — Manuel Bandeira

10. O que pintar eu assino — Paulo Leminski

11. O negro fala sobre rios — Langston Hughes

12. A rosa de Hiroxima — Vinicius de Moraes

13. Feminino, singular — Myriam Fraga

14. Lembranças do interior — Mauro Mota

15. Álbum de família — Jorge de Lima

16. Um poeta de paixões — Casimiro de Brito

17. Um mestre do haikai — Guilherme de Almeida

18. O poeta da memória — Ruy Espinheira Filho

19. Ruminações urbanas — Donizete Galvão

20. Recordações de Tramataia — Joaquim Cardozo

21. Carta ao senhor da guerra — Renata Pallottini

22. Os outros Pessoas — Alberto Caeiro, Ricardo Reis e Álvaro de Campos

23. Paisagens com palavras — Ieda Estergilda de Abreu

24. Sinfonia em versos — Paul Verlaine

25. Um cais chamado saudade — Sônia Régis

26. A valsa sem memória — Antonio Brasileiro

27. O apocalipse do Aleijadinho — Bueno de Rivera

28. Um poeta popular — Jacques Prévert

29. Palavra carece de pátria — Iacyr Anderson Freitas

30. Sem efeitos especiais — William Carlos Williams

31. Paisagens do deserto — Tarso de Melo

32. Para que serve o pássaro? — Orides Fontela

33. A explicação do poema — Haroldo de Campos

34. Poema do falso amor — Dante Milano

35. O pensamento a galope — Roberval Pereyr

36. Uma pedra de sal no oceano — Henriqueta Lisboa

37. A sintaxe do ferro — Ricardo Rizzo

38. Moderno, com 400 anos — Luís Vaz de Camões

39. Uma cadela no carnaval — Elizabeth Bishop

40. Estilhaços de poesia — Vera Lúcia de Oliveira

41. Instantâneos da metrópole — Paulo Ferraz

42. Um rio que corre na alma — Erorci Santana

43. A cicatriz e a serpente — Ruy Proença

44. Versos escritos com bisturi — Marianne Moore

45. As coisas que nos cercam — Paulo Henriques Britto

46. Retratos sem retoque — Fabio Weintraub

47. Por causa de Jandira — Murilo Mendes

48. Com o vento nos cabelos — Affonso Manta

49. Escrito em 2045 — Carpinejar

50. A chama viva do flamenco — Rainer Maria Rilke

51. A dança das garças — Maria Lúcia Martins

52. O último dia do ano — Carlos Drummond de Andrade

53. À flor da pele — João Camilo

54. A fome do primeiro grito — Hilda Hilst

55. O homem do violão azul — Wallace Stevens

56. Tiroteio de silêncios — Carlito Azevedo

57. Pitangas no travesseiro — Betty Vidigal

58. Acima de qualquer suspeita — José Paulo Paes

59. Às cinco horas da tarde — Federico García Lorca

60. À borda dos incêndios — Salgado Maranhão

61. Administrador do inútil — Manoel de Barros

62. O amolador de tesouras — Fred Souza Castro

63. No território do cotidiano — Adélia Prado

64. À espera dos bárbaros — Konstantinos Kaváfis

65. "Eu é um outro" — Sá de Miranda

66. Poesia pós–tudo — Augusto de Campos

67. A Bela de Amherst — Emily Dickinson

68. Água, terra, fogo e ar — Fernando Paixão

69. Versos em surdina — Ribeiro Couto

70. Eu não sou eu nem o outro — Mário de Sá–Carneiro

71. Tigre! Tigre! — William Blake

72. À beira da vida — Dalila Teles Veras

73. Baú de espantos — Mario Quintana

74. O solitário de Mariana — Alphonsus de Guimaraens

75. A poesia da práxis — Mário Chamie

76. Mulher e pássaros — Dora Ferreira da Silva

77. Enquanto o dia não chega — Nuno Júdice

78. Lira paulistana — Mário de Andrade

79. A sereia que leu Marx e Freud — Sosígenes Costa

80. As cismas do destino — Augusto dos Anjos

81. O olho de um pequeno deus — Sylvia Plath

82. No vôo cortante da tarde — H. Dobal

83. Um gosto de óleo diesel — Rosana Piccolo

84. Sentimento ocidental — Cesário Verde

85. Passos e acenos — Florisvaldo Mattos

86. Por trás da cortina — Sergio Cohn

87. Hay un tigre en la casa — Eduardo Lizalde

88. Do outro lado do mar — Sophia de Mello Breyner Andresen

89. No subsolo do discurso — Antonio Carlos Secchin

90. Não percas o ser humano — Nauro Machado

91. O selvagem Rimbaud — Arthur Rimbaud

92. Penso, logo minto — Reynaldo Damazio

93. No formigueiro das letras — Ana Cecília de Sousa Bastos

94. Na fumaça de um charuto — Álvares de Azevedo

95. Um clássico pós–moderno — Alexei Bueno

96. Texto com e sem palavras — Décio Pignatari

97. Sintonia de cristais — Maria Esther Maciel

98. Barras de ferro — Carl Sandburg

99. Poema de cem faces — Cem Poetas

100. Na janela da memória — Chantal Castelli

101. Vibrações de tempo — Paulo Mendes Campos

102. Papoulas de arame — Francisco Carvalho

103. O outro nome da chuva — Danilo Monteiro

104. Memória da guerra — Izacyl Guimarães Ferreira

105. Leão rasgando seda — André Luiz Pinto

106. Explosão de argila — Prisca Agustoni

107. O salário mínimo da poesia — Dylan Thomas

108. Máquina zero — Ricardo Aleixo

109. Uma roça de estrelas — José Inácio Vieira de Melo

110. Sobre a hora indesejada — Pedro Nava

111. Sede de voar — Maria da Conceição Paranhos

112. Um poeta da realidade — Czeslaw Milosz

113. Lavoura azul — José Chagas

114. Blues à moda mineira — Edimilson de Almeida Pereira

115. O homem de La Mancha — Carlos Drummond e Jorge Luis Borges

116. Coisas imediatas — Heitor Ferraz Mello

117. Suor e alfazema — Ilka Brunhilde Laurito

118. Pedras na beira do rio — João de Moraes Filho

119. Sonetos de amor — Elizabeth Barrett Browning

120. Uma canção distante — Soares Feitosa

121. Tabuada de menos — Fernando Fábio Fiorese Furtado

122. Voando com o pássaro — Ana Cristina Cesar

123. Beleza e verdade — John Keats

124. Acrílico sobre papel — Almandrade

125. Fotografias com palavras — Luiz Roberto Guedes

126. O eterno passageiro — Ronaldo Costa Fernandes

127. Concerto para violino — Maria José Giglio

128. A vida imediata — Paul Éluard

129. O poema nasce nu — Júlio Polidoro

130. Pássaro na treva — Tasso da Silveira

131. Um poeta verde — Ascânio Lopes

132. Linguagem e vertigem — Ferreira Gullar

133. O caracol e a linha — Ésio Macedo Ribeiro

134. O fazedor — Jorge Luis Borges

135. O homem e sua hora — Mário Faustino

136. Devastações e esperanças — Carlos Nejar

137. Rumo à cidade santa — William Butler Yeats

138. Quase uma arte — Paula Glenadel

139. Sob o vôo das gaivotas — Lêdo Ivo

140. Talento rebelde — Vladímir Maiakóvski

141. Na cidade e no tempo — Moacyr Félix

142. Em poucas palavras — Virna Teixeira

143. Bêbado de universo — Giuseppe Ungaretti

144. Entre espuma e areia — Washington Queiroz

145. Pessoa, 70 anos depois — Fernando Pessoa

146. Veleiros brancos — Ledusha B. A. Spinardi

147. Nas ruas da cidade — René Char

148. Um sertanejo universal — João Guimarães Rosa

149. A terra desolada — T.S. Eliot

150. Assinatura do sol — Rodrigo Petronio

151. Sal nas feridas — Helena Ortiz

152. Fragmentos do cotidiano — André Dick

153. Um lance de dados — Stéphane Mallarmé

154. A cidade engatilhada — Armando Freitas Filho

155. Nas terras do sem fim — Cyro de Mattos

156. Onde dor é saudade — Lucian Blaga

157. Banquete de asas — Antônio Mariano

158. Brincando com navalhas — Déborah de Paula Souza

159. Crepúsculo sertanejo — Castro Alves

160. Partitura de ossos — Delmo Montenegro

161. Órfão do silêncio — Charles Simic

162. No diesel do passado — Plínio de Aguiar

163. Lua no asfalto molhado — Silvana Guimarães

164. Essa cidade, gota de sombra — Herberto Helder

165. Exercício de telegrafia — Salete Aguiar

166. Cana caiana — Ascenso Ferreira

167. Espelhos e enigmas — Ronaldo Monte

168. Vênus em Escorpião — Luíza Mendes Furia

169. O amor no papel — William Shakespeare

170. Geometria de Ícaro — Solange Firmino

171. O antimenestrel — Oswald de Andrade

172. Quando se afiam as facas — Eunice Arruda

173. Funcionário da poesia — António Ramos Rosa

174. Canções do exílio — Gonçalves Dias

175. Silêncio partido em dois — Cristina Garcia Lopes

176. Uma xícara no infinito — Amadeu Baptista

177. Sem margem de manobra — Claudia Roquette-Pinto

178. Metade da vida — Friedrich Hölderlin

179. A noite é verde — Trazíbulo Casas

180. O tigre revisitado — Joaquim Branco

181. Por favor, um blues — Silvia Chueire

182. Suor suspenso no óleo — Fabiano Calixto

183. Folhas de relva — Walt Whitman

184. Mundos oscilantes — Adalgisa Nery

185. Recusa ao devaneio — Júlio Castañon Guimarães

186. Geografia do deserto — Micheliny Verunschk

187. Novembro dos vivos — Alessio Brandolini

188. O cavalo amarelo — Alexandre Bonafim

189. Trigo e papoilas — Nuno Garcia Lopes

190. Elegias da memória — Gilberto Nable

191. Amoras bravas — Eugénio de Andrade

192. Nel mezzo del cammin — Dante Alighieri

193. O retorno de Saturno — Iracema Macedo

194. Esse vestido, esse segredo — Carlos Drummond de Andrade

195. Meditação sob os lajedos — Alberto da Cunha Melo

196. Quase silêncio — Ricardo Lima

197. Cheiro de terra molhada — Márcia Maia

198. Na praia da palavra — Eduardo Sterzi

199. O fazendeiro do mar — Cacaso

200. O olho do poeta obsceno — Lawrence Ferlinghetti

201. Arqueologia do olhar — Alexandre Marino

202. Trajetória de antes — Mariana Ianelli

203. O mundo indecidível — Vítor Oliveira Jorge

204. O silêncio dos deuses — Andityas Soares de Moura

205. A meninice nas mãos — Alberto da Costa e Silva

206. Por quem os sinos dobram — John Donne

207. O vôo da voz — Sônia Barros

208. As formas do barro — Aleilton Fonseca

209. O peixe e a espinha — Afonso Henriques Neto

210. Meditações na corda lírica — Ivan Junqueira

211. Onde estão as neves de outrora? — François Villon

212. Retrato visto de longe — Francisco Carvalho

213. Carne dos meus pensamentos — Neide Archanjo

214. Vou-me embora pra Braxília — Nicolas Behr

215. Contemplando a chuva — Juan Gelman

216. Serengas, lambedeiras e naifas — João Filho

217. No meio da rua deserta — Ana Rüsche

218. Minotauros no divã — Regis Gonçalves

219. História das demolições — Fabrício Corsaletti

220. Um sol entre as veias — Nicolás Guillén

221. Amor e beterrabas — Vitória Lima

222. O poeta do desterro — Cruz e Sousa

223. Naufrágios súbitos — Álvaro Alves de Faria

224. Uma valsa e dois ciúmes — Gonçalves Dias e Casimiro de Abreu

225. Plural de nuvens — Gilberto Mendonça Teles

226. A última réstia da lua — Raiça Bomfim

227. Evidências pedestres — Paulo Ferraz

228. Pão e água-de-colônia — Adília Lopes

229. De Glasgow a Saturno — Edwin Morgan

230. A sedução da imagem — Carla Andrade

231. Trigal com corvos — W.J. Solha

232. Olho de boi na paisagem — Júlio Machado

233. Noites, pássaros e gaiolas — Alejandra Pizarnik

234. Entre o silêncio e a meditação — Moacir Amâncio

235. Pássaros convulsos — Vera Lúcia de Oliveira

236. Os homens obsoletos — Donizete Galvão

237. Lady Lazarus — Sylvia Plath

238. O taquígrafo da mente — Allen Ginsberg

239. Profundamente — Manuel Bandeira

240. Para isso fomos feitos — Vinicius de Moraes

241. Farol na névoa — Dante Milano

242. No silêncio das águas — Maiara Gouveia

243. Banquete de rebeldia — Decio Bar

244. O galo branco — Augusto Frederico Schmidt

245. Em tempo de luas magras — Cida Pedrosa

246. O falcão e a nuvem — Eugenio Montale

247. O gênio do Cosme Velho — Machado de Assis

248. Palavras soltas; talvez dor — Jorge Wanderley

249. Gleba de ausentes — H. Dobal

250. "Tenho mais almas que uma" — Fernando Pessoa

251. Goteira da memória — Lenilde Freitas

252. O verso sem plumas — Maria Thereza Noronha

253. Disse o corvo: "Nunca mais" — Edgar Allan Poe

254. Todas as cidades do mundo — Izacyl Guimarães Ferreira

255. Poemas de circunstância — Manuel Bandeira e Carlos Drummond

256. Só a noite é que amanhece — Alphonsus de Guimaraens Filho

57. Palavras de sal — Angélica Torres Lima

258. Cidade, por que me persegues? — José Paulo Paes

259. Cheiro de terra molhada — Mariana Botelho

260. Canções de Cecília — Cecília Meireles

261. Poemas diante do espelho — Sete poetas

262. Sob o signo do blues — Amélia Alves

263. O azeite do desengano — Ronaldo Costa Fernandes

264. Elegias do País das Gerais — Dantas Mota

265. 3,141592653589793238... — Wislawa Szymborska

266. Uma estrela trêmula — Max Martins

267. Hora de brincar — Poesia para crianças

268. A rua do padre inglês — Everardo Norões

Seguidores